Nosso Patrono

CARLOS ARGEMIRO DE CAMARGO – NOSSO PATRONO

CARLOS ARGEMIRO DE CAMARGOPor que você é o nosso Patrono, nosso guia espiritual e nosso exemplo a seguir?

Porque você, Sargento Camargo, representa a chama viva que acende nossos corações, fazendo-os pulsar em frêmitos de inconteste amor à Pátria.

Você, bravo companheiro, foi vítima da covardia e insolência daqueles que nos queriam escravizar e entregar à sanha de maus brasileiros, adeptos de uma ideologia espúria e nefasta, totalmente contrária ao nosso espírito cristão, num aviltamento frontal às nossas instituições democráticas.

“Você morreu, companheiro, honrando as divisas que hoje ostentamos.”

Quem foi o Sgt Carlos Argemiro de Camargo?

Foi mais um brasileiro que tombou na luta contra a bolchevização do Mundo Ocidental.

Nasceu no dia 15 de Abril de 1938, na localidade de Ponta Grossa, estado de Paraná. Era filho de Rômulo Camargo e Leondrina Rodrigues. Incorporou ao Exército brasileiro, como convocado, em 20 de Junho de 1957, no 13º Regimento de Infantaria, sendo promovido a cabo em 17 de Dezembro de 1957 e a 3º Sargento a 14 de Maio de 1960.  Era qualificado – “Infante fuzileiro” e tinha o comportamento ótimo.  Como comandante de pelotão em perseguição a um grupo de guerrilheiros, tombou, no cumprimento do dever, a 28 de Março de 1965, com dois tiros na perna e um no peito, disparados pelo ex-coronel Jefferson Cardim de Alencar Osório, comunista reconhecido, que comandava um grupo de guerrilheiros que estava em missão incumbida por Leonel de Moura Brizola, na localidade de São José, município de Capitão Leônidas Marques.

Jefferson Cardim Osório, ex-coronel do Exército, comunista, em escaramuças no interior do Paraná, em uma emboscada, matou o 3º Sargento CARLOS ARGEMIRO DE CAMARGO. Foi preso, apesar de criminoso e comunista, por ser ex-coronel, tinha o quartel como menagem e fugiu. Sintetizando: Já dentro da guerra psicológica, movida contra a Revolução de 1964, também no exterior, no livro “A Esquerda Armada no Brasil”, editado com o título original “Los Subversivos” pela Casa da Las Américas, de Havana, narra essa escaramuça. Sem tocar no assassinato do Sgt Camargo, diz que Jefferson logrou fugir e anos mais tarde foi entregue pelo regime militar argentino à ditadura brasileira, cujos grupos repressivos o torturaram até a morte, em 1971.

CARLOS ARGEMIRO DE CAMARGO foi promovido “Post Mortem” ao posto de 2º Tenente, sendo também providenciado o processo de concessão da “Medalha do Pacificador”, com Palma, recebida, merecidamente, por sua digníssima família.

Foi sepultado no cemitério Municipal de Francisco Beltrão e posteriormente, realizado o traslado dos restos mortais deste herói, Patrono da Turma EsSA/1978, para o 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado, na mesma cidade.

Quis o destino que o capitão Lourenço Rômulo Innocêncio Junior, sargento desta Turma, estivesse ali servindo e tenha sido ele designado para acompanhar o translado, em 2007, sendo sepultado na Praça Tenente Camargo, no interior do aquartelamento, onde repousa após cumprir sua missão e seu juramento:  Dar a própria vida em defesa da Pátria!. Mais um motivo de orgulho e gratidão de todos os componentes desta turma.

A cerimônia do translado foi apresentado através de um vídeo apresentado na EsSA em 2013, por ocasião do encontro da Turma que, orgulhosamente, ostenta o seu nome: “TURMA SARGENTO CARLOS ARGEMIRO DE CAMARGO” – FOSTES UM HERÓI TOMBADO DE FORMA COVARDE E SUTIL NAS VERDES MATAS DO PARANÁ, PELA GLÓRIA DO NOSSO BRASIL!

Encontros de confraternização. O próximo encontro será na EsSA e Poços de Caldas, em 2018